Airbnb, 웨스트 뱅크 (West Bank) 가구를 부지에서 철수시키기위한 결정을 뒤집습니다.

A empresa americana de compartilhamento de imóveis Airbnb anunciou que continuará listando casas de colonos judeus na Cisjordânia ocupada, em uma reversão de uma decisão anterior.

O anúncio foi feito depois que advogados israelenses entraram com uma ação coletiva em nome de anfitriões de propriedades e outros, após a decisão do Airbnb no ano passado de remover tais propriedades.

Esse movimento veio depois de anos de acusações de que a empresa estava se beneficiando de aluguéis nos locais ilegais.

Na noite de terça-feira, depois de admitir que era um assunto controverso, a Airbnb disse em um comunicado de imprensa que estava resolvendo todos os processos movidos por anfitriões e potenciais anfitriões e convidados que se opuseram à sua política mais recente.

Embora a lei dos EUA permita que as empresas conduzam negócios em territórios ocupados, a empresa decidiu sair da região da Cisjordânia em novembro de 2018.

Enquanto as propriedades na Cisjordânia serão agora listadas, a empresa disse que não aceitará os lucros da área e, em vez disso, doará para a caridade essa receita obtida.

“O Airbnb não avançará com a implementação da remoção de listagens na Cisjordânia da plataforma”, disse a empresa com sede em San Francisco nesta terça-feira.

“Continuaremos a permitir listagens em toda a Cisjordânia, mas a Airbnb não terá lucros com essa atividade na região”.

Muitos ativistas palestinos expressaram desaprovação da última decisão. A Campanha dos EUA para os Direitos Palestinos divulgou uma declaração chamando a decisão de “vergonhosa” e “uma tentativa descarada de esconder a realidade”. On-line, muitos usuários estão falando que o site “não tem moral”.

Cerca de 200 residências seriam afetadas pela decisão do AirBnB na Cisjordânia. Outros territórios disputados, incluindo as Colinas de Golã e Jerusalém Oriental, não foram afetados, disse a companhia.

Em ambos os comunicados à imprensa, a empresa enfatizou que não apóia movimentos para boicotar Israel.

O recém-reeleito primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que planejava anexar a Cisjordânia se vencesse a eleição. Muitos já estão chamando-o de mais um ato de agressão nos territórios palestinos.

출처 : 보호자
Foto: Thomas Coex/AFP/Getty Images

Anuncios

회신을 남겨